segunda-feira, 6 de setembro de 2010

SOCIEDADE PARISIENSE DE ESTUDOS ESPÍRITAS


(PRIMEIRO CENTRO ESPÍRITA DO MUNDO)

FUNDADA EM 13 DE ABRIL DE 1858

Da origem – histórico:

           O SPEE (Primeiro Centro Espírita do Planeta Terra)

Síntese da fundação da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas...

Histórico da SPEE:

            Por iniciativa de Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo, surgiram em Paris-França- no ano de 1858...

            A Revista Espírita, tradicional publicação por ele dirigida até sua desencarnação em 1869... Ainda em circulação em vários idiomas.

            E, também, a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (SPEE), o primeiro CENTRO ESPÍRITA DO PLANETA..

A França – tempo e espaço:

             A França, à época de Allan Kardec, vivia tempos conturbados, por isso, o funcionamento da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas (SPEE), dependia de autorização para seu funcionamento legal, o que não seria fácil conseguir.

 Contexto social francês:

 FRANÇA - SÉCULO XIX –(3):

       Um revolucionário nacionalista italiano chamado Félix Orsini, perpetrou um atentado em 14 de janeiro de1858, contra a vida de Napoleão III – o então Imperador Francês - que, por pouco não foi assassinado, sendo ORSINI condenado à pena de morte pela guilhotina em 13 de março de 1858, isto é, quase vinte dias antes da fundação da SPEE. Este episódio provocou a sanção da Lei de Segurança Geral, que facultava ao Ministro do Interior a transladar ou exilar a qualquer cidadão francês que fosse reconhecido culpado de conspirar contra a segurança do Estado. Era uma lei rigorosa, que não se derrogou senão doze anos depois, em 1870. Os tempos então vividos eram de convulsão política; a França estava sob recente Lei de Segurança de 19 de fevereiro de 1858, sancionada em virtude daquele atentado, lei que não permitia a reunião de mais de 20 pessoas em espaço fechado. O estatuto social da SPEE devia ser submetido às autoridades (4) sob este severo regime que, ante as novas idéias, colocariam sua atenção sobre o objeto e os nomes dos seus componentes.

         Napoleão Bonaparte III - Imperador de França - no período de 1852 até 1870 era sobrinho do grande Napoleão.

Então...

       Era necessário que a SPEE obtivesse autorização para o seu funcionamento legal, dado a gravidade da situação política .
        Quem autorizou o funcionamento do primeiro Centro Espírita do planeta foi um general...
        Napoleão Bonaparte III nomeou o general Espinasse, para ser o Ministro do Interior da França o qual exerceu esse cargo entre 07 de fevereiro de 1858 até 14 de junho de 1858, exatamente 127 dias.   

         A denominação completa do cargo: Ministro do Interior e de Segurança Geral .

         Essa autoridade era quem autorizava o funcionamento de atividades que reunissem “grupos com mais de 20 pessoas...”

         Para funcionar legalmente e não ser incomodada, a SPEE precisaria transpor as dificuldades que as circunstâncias da época impunham.

Então:
    O Sr. Dufaux, que participava da SPEE, cuidou do caso, por ser amigo do Prefeito de Polícia de Paris, que seria a primeira autoridade a ser contatada. Mas, como a autorização dependia também do Ministro do Interior, foi aí que entrou em cena o general Espinasse... O então Ministro do Interior.

          Charles-Marie Esprit Espinasse – que concedeu a autorização imprescindível para o funcionamento legal da Sociedade de Paris era simpatizante da causa Espírita, sem que Kardec soubesse. Ele conseguiu a autorização, em menos de 15 dias, quando o tempo médio era de pelo menos três meses.

Nota:
          
          Alguns historiadores consideram a data de fundação da SPEE, 1º de abril de 1858, quando Allan Kardec realizou a primeira reunião para discutir e aprovar o Estatuto da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas; porém se considerarmos que a concessão para o funcionamento legal - pelo Ministro Espinasse – aconteceu em 13 de abril de 1858, data oficial da fundação da SPEE.

Autorização:

           A autorização para o funcionamento da SPEE foi conseguida em 13 de abril de 1858. O general Espinasse exerceu o cargo por mais de quatro meses – o tempo necessário para conceder a autorização de funcionamento da SPEE. Só posteriormente Kardec veio saber que o general Charles Marie Espirit Espinasse era simpatizante da causa Espírita. Kardec obteve essa informação, em entrevista mediúnica com o próprio general, seis dias após a desencarnação do mesmo. O general Espinasse faleceu em 04 de junho 1859, no terrível combate de Magenta (cidade da Província de Milão), hoje pertencente à Itália. – Onde foi homenageado com uma placa, em gratidão à sua coragem e heroísmo, demonstrados com a entrega da própria vida na batalha vitoriosa de Magenta.

Documento histórico – escrito por Kardec:

        << Ao Sr. Prefeito de Polícia da Cidade de Paris.

Sr. Prefeito:

       Os membros fundadores do Círculo Parisiense de Estudos Espíritas, que solicitaram junto a vós a autorização necessária para constituir-nos em Sociedade, têm a honra de pedir-vos que consintais permitir-nos reuniões preparatórias, enquanto esperamos a autorização regular. Com o mais profundo respeito, Sr. Prefeito, tenho a honra de ser vosso muito humilde e muito obediente servidor, H.L.D. Rivail, dito Allan Kardec. Rua dos Mártires número 8. >>

          O eminente Prof. Hippolyte-Leon-Denizand-Rivail, fez importante e corajosa identificação ao assinar a carta com seu ilustre sobrenome e com seu digno pseudônimo respectivamente (Rivail-Kardec), oferecendo certamente o seu aval de pessoa séria e respeitada ante a autoridade municipal o Prefeito de Polícia de Paris, e nacional (Ministro do Interior), especificamente para a abertura da sociedade, na qual deveriam dispor por lei de uma autorização legal e oficial para encontro de um maior número de pessoas das que se reuniam em um Círculo.



Onde e como funcionou!...

         No início, por cerca de seis meses, Kardec realizava as reuniões na própria residência, então situada à Rua dos Mártires n° 8, junto com alguns adeptos (entre 8 e 10 pessoas), sempre às terças-feiras... O espaço era reduzido, impossibilitando o crescente número de estudiosos que ali compareceriam.

     
CURIOSIDADES!...

           Posteriormente, já legalizada, passou a funcionar na Galeria de Valois, até 1º de abril do ano 1859.


      DE 1º de abril de 1859, até 1º de abril de 1860, nas sextas-feiras, a SPEE funcionou na Galeria Montpensier, mais precisamente na passagem Sant’Ana, n° 59.


OS PERSONAGENS:

1 )  Napoleão III – Imperador da França, na época em que a SPEE preparava-se para ser legalizada;

2) General Espinasse – Como autoridade  competente, foi quem autorizou o funcionamento legal, da SPEE. Foi nomeado ao importante cargo, por Napoleão III;

3) Sr. Dufaux – Por conhecer pessoalmente o Prefeito de polícia de Paris(que era a primeira autoridade a ser contatada), foi quem se encarregou do caso “autorização” para o funcionamento regular da SPEE;

4) Srtª  Ermance Dufaux – Atuava como a médium principal nas reuniões.Era filha do Sr. Dufaux;

5) Sr. Roze – Também médium, juntamente com Alfred Didier, Didier Filho, Forbes, Colein, Pécheur, Darcol, Camile Flammarion,  Léon Denis, Gabriel Delanne, além de outros;( estes são os mais citados por Kardec);

6) São Luiz –“Presidente – espiritual” da SPEE. Foi, na França, em encarnação passada, o rei Luiz IX.


FONTES DAS INFORMAÇÕES HISTÓRICAS:


      1) Revista “O Reformador” (FEB) – Edição: Abril de 2008;
      2) Revista “ Resenha Espírita” – nº 2  - ano 2008;
      3) Mário Celso – mariocelso633@yahoo.com.br


CITAÇÕES: 

     “Onde quer que as minhas obras penetrarem e servirem de guia, o Espiritismo é visto sob o seu verdadeiro aspecto, isto é, sob um caráter exclusivamente moral.” (Allan Kardec).

     “O melhor que se pode fazer pelo Espiritismo é divulgá-lo corretamente.” (Mário Celso).

     “Ser espírita não é apenas aceitar a reencarnação; é compreendê-la como manifestação da Justiça Divina e caminho natural para a perfeição.” (Wanderley Pereira)